*** em construção ***



sábado, 21 de agosto de 2010

ALAIN RESNAIS - França





FILMOGRAFIA:


(EM CONSTRUÇÃO)



ALAIN RESNAIS

"Em um filme , tento alcançar a complexidade do pensamento, seu mecanismo interno. E o cinema deveria ser sempre uma montagem de emoções."

Gênio do cinema, Resnais realiza seu primeiro longa-metragem ao mesmo tempo em que surge a Nouvelle Vague, o movimento dos críticos da revista "Cahiers Du Cinema" liderado por Truffaut e Godard. Rodado no mesmo ano de Acossado, "Hiroshima Meu Amor" (1959), com roteiro da escritora Marguerite Duras, tem grande repercussão de público e crítica. A história de amor entre um japonês e uma atriz Francesa faz uma inovadora reflexão sobre o amor, a memória e a guerra.

Dois anos depois, Resnais realiza o filme que é considerado por muitos críticos a sua obra-prima. O Ano Passado Em Marienbad (1961) retoma os mesmos temas na história de um homem que tenta fazer uma mulher lembrar que foram amantes há um ano. O filme ganhou o Leão de Ouro no Festival de Veneza.

Resnais é conhecido por desconstruir os códigos da narrativa no cinema , explorando personagens e épocas diferentes em um mesmo lugar ( A Vida é um Romance - O Ano Passado em Marienbad ), ou em um universo voluntariamente artificial e teatral. Sua montagem característica justapõe espaços e tempos diferentes para sondar a memória coletiva ou individual. Pelos filmes de Resnais, perpassam outros grandes temas como o poder da imagem, o poder da arte, as consequências da guerra, o amor e a solidão.


ALAIN RESNAIS - Biografia

Nascido em Vannes (Bretanha) em 1922, Alain Resnais manifesta desde sua infância , o gosto pelos desenhos animados , os quadrinhos e o cinema. Mais tarde, descobrindo a literatura e o teatro, se entusiasma a ponto de tornar-se ator, estudando por 2 anos arte dramática. Ainda jovem, após passar pelo serviço militar na Alemanha, Resnais retorna a Paris e de imediato mergulha na atividade cinematográfica.

Começando a filmar curtas amadores sobre pintores , em meados dos anos 40, Alain Resnais realizaria em 1948 aquele que é considerado seu primeiro curta de fato: "Van Gogh". A partir desde filme e graças ao seu enorme talento e sensibilidade, ele realizaria uma série de curtas que entrariam não apenas para a história do formato, mas para a história do próprio cinema. "Gauguin" e "Guernica", ainda ligados ao universo das artes plásticas , continuariam revolucionando na maneira de se filmar a pintura. Dariam sequências "As Estátuas Também Morrem" ( sobre a força da arte Africana e sua usurpação pelo colonialismo e pela opressão, com roteiro de Chris Marker) e "Toda a Memória Do Mundo" ( percurso poético pelo labirinto da Biblioteca Nacional da França), além de um dos filmes mais fortes e contundentes jamais realizado sobre o Holocausto perpetrado pelos Nazistas durante a 2ª Guerra Mundial. "Noite e Neblina" ( escrito por Jean Cayrol e vencedor do prêmio Jean Vigo em 1956)

Unindo sua experiência como diretor de curtas e montador de longas ( entre outros, do primeiro filme de Agnes Varda, "La Pounte Courte" de 1954) , ele realizaria entre o final dos anos sessenta , dois dos marcos fundadores do cinema Moderno e do que viria a ser conhecido como a Nouvelle Vague Francesa : "Hiroshima Meu Amor" com roteiro de Marguarite Duras, e O Ano Passado Em Marienbad (Leão de Ouro no Festival de Veneza de 1961), escrito por Alain Robbe-Grillet, dois dos maiores nomes da literatura Francesa na época e figuras emblemáticas do chamado "Nouveau - Roman".

De acordo com Alain Resnais , "deve-se tentar fazer filmes que sejam uma síntese de todos os modos de expressão artística" . Seguindo este princípio , seus filmes passeiam, ao longo de toda sua carreira , por diversas vertentes das artes , sejam elas visuais ou literárias. Tendo como uma de suas principais marcas , durante os anos sessenta e setenta, a constante parceria com grandes escritores literários , a quem ele propunha um ou mais roteiros , Alain Resnais se associaria ainda a Jean Cayrol ("Muriel ou o Tempo de Um Retorno") a Jorge Semprun ( "A Guerra Acabou" e "Stavisky") a Jacques Sternberg (Eu Te Amo, Eu Te Amo) e ao inglês David Mercer ('Providence")

Somente a partir dos anos 80, ele passaria a trabalhar diretamente com roteiristas de cinema, destacando-se sua longa parceria com Jean Gruault ( ' Meu Tio Da América', 'A Vida é um Romance', e 'Morrer de Amor'), antigo roteirista de François Truffaut , Jean Luc Godard e Jacques Rivette e o trabalho mais recente com uma dupla pertencente à nova geração de cineastas Franceses, Jean-Pierre Bacri e Ágnes Jaoui ("Amores Parisienses") autores de "O Gosto Dos Outros".

Podemos destacar ainda o interesse de Resnais pelo univesrso das HQs , que resultará numa parceria com o cartunista Americano Jules Feiffer para a realização do roteiro de "Quero Ir Para Casa", filme de 1989.

Também à partir dos anos 80 e até hoje, certas peças de teatro também passam a inspirar o rico universo poético de Resnais , dando vazão as suas incansáveis experimentações de linguagem. Pouco importa se essas peças pertencem ao repertório contemporâneo Françês ("Melô" de Henri Bernstein), inglês ("Smoking /No Smoking" e "Medos Privados Em Lugares Públicos" de Alan Ayckbourn) , ou ao mundo das operetas populares do ínicio do século ("Na Boca, Não" de André Barde).

Nenhum comentário:

Postar um comentário