*** em construção ***



sábado, 21 de agosto de 2010

F. W. MURNAU - Alemanha




FILMOGRAFIA:

Produções Alemãs

1926 – Fausto (Faust, eine deutsche Volkssage)
1925 – Tartufo (Herr Tartüff)
1924 - As finanças do Grão-Duque (Die Finanzen des Großherzogs)
1924 - A última gargalhada (Der letzte Mann)
1923 - A expulsão (Die Austreibung)
1922 - A contrabandista (Marizza, genannt die Schmugglermadonna)
1922 - Nosferatu, uma sinfonia de horrores (Nosferatu, eine Symphonie des Grauens)
1922 - Terra em chamas (Der brennende Acker)
1922 – Fantasma (Phantom)
1921 - Desejo ardente (Sehnsucht)
1921 - O Castelo Vogeloed (Schloß Vogelöd)
1920 - Santanás (Satanas)
1920 - O corcunda e a dançarina (Der Bucklige und die Tänzerin)
1920 - A cabeça de Janus (Der Januskopf ― Eine Tragödie am Rande der Wirklichkeit)
1920 - Crepúsculo... Noite... Manhã (Abend... Nacht... Morgen)
1920 - A caminhada na noite (Der Gang in die Nacht)
1919 - O garoto vestido de azul (Der Knabe in Blau)

Produções Estado-Unidenses

1931 – Tabu (Tabu, a story of the south seas)
1930 - A garota da cidade (City Girl)
1928 - Os quatro demônios (4 Devils)
1927 – Aurora (Sunrise ― a song of two humans)



Friedrich Wilhelm Murnau, ou simplesmente F. W. Murnau, nascido Friedrich Wilhelm Plumpe (Bielefeld, Alemanha, 28 de dezembro de 1888 — Santa Barbara, Califórnia, 11 de março de 1931), foi um dos mais importantes realizadores do cinema mudo, do cinema expressionista alemão e do movimento Kammerspiel.
Nosferatu, Eine Symphonie des Grauens (Nosferatu, Uma Sinfonia de Horrores), de 1922, uma adaptação pessoal da novela Dracula, de Bram Stoker, é o filme mais conhecido da sua obra (em boa parte perdida) juntamente com Der letzte Mann, de 1924 e Faust (PT: Fausto) de 1926.
Em 1926, emigrou para Hollywood, onde antes de morrer realizaria o aclamado Sunrise (PT: Aurora) de 1927. O seu último filme Tabu (co-realização com Robert Flaherty) foi filmado nos mares do sul, longe dos grandes estúdios e estreado postumamente. É considerado hoje em dia um filme de culto e marca uma quebra com a estética dos seus filmes anteriores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário